sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Ser Chefe



Estou escrevendo este artigo porque acredito que ser chefe é uma questão de aprendizado. Para você ser chefe precisa ter conhecimento técnico no assunto para que os subordinados não fiquem falando que sabem mais do que você ou mesmo que fiquem questionando suas estratégias, assim como também precisa ter bom relacionamento com a sua equipe e com os outros departamentos, pois assim influenciará os outros para que façam o que você orienta sem enfrentar resistências.

Mas tem um terceiro ingrediente, e é isso que precisamos expressar. Há que se ter vontade política, ou mentalidade de chefe, ou ainda um outro nome para essa mesma coisa, tem que ter postura de chefe. Um caso interessante de se contar é o de um coordenador da nossa empresa, que queria ser executivo, mas não queria exercer algumas tarefas normais de um executivo como, por exemplo, demitir alguém. A primeira vez que ele teve que demitir uma pessoa, tremia mais que esquimó. Por fim entendeu que fazia parte de um “Bem Estar” maior. E o que quer dizer isso? É o bem estar de todos e não somente de uma pessoa.

É comum que ao começarmos a carreira, tenhamos pensamentos revolucionários, do tipo "quando eu for chefe, serei a mesma pessoa que sou hoje". Porém posso dizer baseado nos meus 21 anos de "carteira" que isso é utopia. Não duvido que um chefe possa ser "gente boa", pois acho que não só pode como deve ser. Mas seguramente não pode ser um palerma, sentimental e com medo de chatear alguém.

Assim como um chefe existe para motivar seus comandados, ele também existe para manter a ordem e fazer com que a empresa avance. Se o departamento funcionar bem, o dono da empresa fica feliz, a diretoria também, assim como o chefe e todos os funcionários, pois estes mantêm seus empregos. Mas se o chefe tiver dó dos funcionários, estes vão fazer cada vez menos resultados, a diretoria ficará descontente, o chefe será reclamado e os funcionários correrão o risco de serem substituídos.

A relação do chefe com seus subordinados pode ser comparada a relação entre um pai (ou mãe) e um filho em idade escolar. Se o pai permite ao filho matar aula em dia frio para poder dormir até mais tarde, o filho seguramente vai achar bom, mas este pai não estará fazendo um bem ao filho. No futuro o filho vai se comparar inferiormente com alguém que foi a escola. Não há nada pior do que criança arteira que não respeita ninguém. Um bom pai é aquele que disciplina, que põe regras e que sabe cobrar e recompensar. O chefe também. Um bom chefe não está do lado da empresa em detrimento à vontade dos funcionários e nem do lado dos funcionários contra a empresa. Um bom chefe entende que tanto os funcionários quanto a empresa estão de um lado só, que é o lado da busca pelo sucesso.

Um bom chefe deve influenciar e não ser influenciado. Deve fazer com que sua equipe “entre na sua pilha” e não “entrar na pilha” da equipe. Um bom chefe deve entender que o que o fez chegar aonde chegou foi seu comportamento positivo aliado à sua competência técnica. Se quiser ser útil aos seus liderados, deverá ensiná-los o caminho das pedras, motivando-os a serem como ele próprio foi antes de ser chefe. Um chefe que entra no embalo de sua equipe tem vida curta.

Se você, depois de tudo isso, cisma que pode não querer ser chefe, alerto-o para pensar um pouco no futuro. Querer crescer profissionalmente é mais ou menos como "tomar juízo". Alguma hora você terá de fazer se tiver alguma ambição na vida. Se não for agora, será no futuro, mas quanto mais tempo se passar, menos resultados o seu juízo vai te proporcionar. E aí sempre vem aquele sentimento de "por que não entendi isso antes?".

5 comentários:

  1. muito bom!
    mt explicativo e vai me ajudar mt!

    parabens!

    ResponderExcluir
  2. Meu Irmão, completando e não alterando... Existe o limite da competência, as vezes o sujeito e excepcional operando e incompetente mandando.. excelente postagem. Quando puder visite meu blog http://lciuras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Agnaldo,
    É muito bom ler coisas realmente edificantes, as vezes as pessoas chagam no seu limite de competência, são exceentes operadores e chefes incompetentes..rs
    Quando puder acessa meu blog e poste seus comentários
    http://lciuras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. a-da-barroso@bol.com.br15 de março de 2012 23:28

    muito bom.;me esclareceu dúvidas importantes.

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Muito bacana sua percepção de “chefia”.
    Eu humildemente acrescentaria que um bom chefe é nada mais nada menos que um líder.
    A liderança abrange competências que faz do indivíduo um exemplo para seus subordinados porque traz consigo o comprometimento, congruência, pragmatismo sem o mínimo de esforço, consequentemente o convívio corporativo torna-se mais brando.Naturalmente agrega satisfação no trabalho e o que todo mundo busca: resultado!
    Funcionários liderados e não comandados possuem visão mais ampla, sabem o que precisam fazer e na grande maioria das vezes não se sentem explorados porque sabem que seu líder não toma decisões a esmo e tão pouco é refém de suas próprias vontades.
    Este assunto é assaz extenso.Aproveito o ensejo e deixo uma dica do que é liderança no meu conceito, um exemplo fantástico de líder nato esta no filme “Gladiador”.

    Agradeço por permitir a exposição de minhas ideias.

    Abs

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!