quinta-feira, 5 de junho de 2008

As Nóias e os Siameses do Caos.


Ontem recebi um e-mail da Coordenadora de um dos Departamentos da minha empresa. Nesse e-mail ela informava que Fulano de Tal passava a ter direito a usar um endereço eletrônico profissional. Segundo a colega, ele havia desenvolvido com sucesso algumas tarefas que ela pedira e por isso mereceu esse “agrado”. Nessa hora respondi dizendo que eu havia ficado muito feliz pela informação e que o Fulano foi um cara que sempre fez questão de estar presente.

Na minha resposta, continuei escrevendo e contei que anteontem eu estava pensando sobre o caso de algumas outras pessoas que temos na empresa, que são complicadas, que não trabalham com a mesma motivação do amigo Fulano e vivem dando desculpas com seus problemas pessoais. Minha conclusão dizia que o mundo é composto por pessoas normais, pessoas que sofrem e pessoas que fazem os outros sofrerem.

Os normais são aqueles que saem de casa todos os dias em direção ao trabalho pensando exclusivamente em trabalhar. Os que sofrem são os que saem de casa reclamando da vida, dos problemas e de tudo mais. E os que fazem os outros sofrerem são os que saem de casa já revoltados com tudo e com todos. O resultado disso é que os que fazem sofrer não se contentam em apenas infernizar a vida dos que já sofrem, mas parece que têm metas de encontrar novos sofredores, portanto infernizam a vida dos normais também, tentando rebanhá-los entre os sofredores.

Com isso, entendi que o maior desafio em liderar equipes não é fazê-los executar seus trabalhos ou tarefas. O verdadeiro desafio que temos está no fato de a maioria das pessoas viverem em constante conflito interno. Essas pessoas não descansam, devem deitar na cama e continuarem sofrendo. Vivem procurando problemas para sofrer. Adoram problemas... E como elas têm muitos conflitos internos, acabam por gerar conflitos externos sem motivos reais. Transformam-se todas em "Patos Donalds", que façam o que for, sempre se darão mal. E assim como o personagem de Walt Disney, nunca percebe que seu sofrimento é fruto de sua expressão negativa ou de suas atitudes.

Se as pessoas se concentrassem em fazer os seus trabalhos, motivados, sem se preocupar com nóias, com divergências familiares ou com os colegas negativos, elas evoluiriam. A maioria dos problemas que uma pessoa tem poderia ser resolvida com o realizar de um bom trabalho. E se o cara não faz um bom trabalho, além de permanecer com aquele monte de problemas que ele já tem, ainda terá um novo problema que será a cobrança do chefe e, em alguns casos, até a perda do trabalho. Resumindo: O MUNDO GOSTA DE SOFRER!

Um outro colega me contava do programa que ele assistiu onde este assunto estava em pauta, de como o ser humano passa a vida murmurando, se lamentando. Está na bíblia, que desde de que o mundo é mundo o homem murmura e se lamenta... E quando o sofrenildo se afasta, as pessoas normais sentem a diferença.

E problemas... quem não os tem? A questão está em como lidamos com eles. Se os colocarmos no centro de nossas vidas, nossas vidas virarão um problema. Se colocarmos as bênçãos em primeiro lugar, teremos uma vida recheada de coisas boas e os problemas parecendo pequenos. Isso nos faria agradecer a Deus pelos poucos motivos que temos para reclamar... Visite um hospital e verá pessoas com o que realmente podemos chamar de problema... pessoas que não sabem se estarão vivas no dia seguinte. Problema não é ter que trabalhar, mas sim não ter emprego ou saúde para poder trabalhar.

Inicie, na sua vida, a OPERAÇÃO LIMPEZA. Isso consiste em se aproximar de pessoas de bem com a vida e se distanciar daqueles que chamamos de siameses ao caos (que vivem grudadas ao problema). Dê uma oportunidade a você de ser feliz.

Um comentário:

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!