segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Aprenda a andar de bicicleta para viver a vida.


Ultimamente, uma das características mais admiradas em um profissional é a sua capacidade de tomar decisões corretas em momentos de pressão. O poder de decidir, de falar na hora certa, de aproveitar uma oportunidade ou de não agir por impulso, de mostrar calma no momento em que todos estão nervosos ou ser agressivo quando ninguém quer arriscar, tem sido o grande diferencial entre o homem normal e o outro acima da média. Esse poder de decisão é resultado de uma outra característica fundamental na vida de um ser humano bem sucedido: o equilíbrio mental.

Esse tal equilíbrio mental pode ser comparado a um outro que encontramos numa das atividades mais simples e mais loucas de nossa vida, que é andar de bicicleta. A bicicleta, que era o brinquedo mais esperado na minha época de criança, é um negócio muito doido, basta ver que foi feita para cair. Ela, por si só, não para em pé, a não ser que esteja em movimento. E é justamente aí que o ciclista precisa aprender uma das coisas mais importantes na vida: ter equilíbrio.

Nossa vida é cheia de dificuldades, gente complicando aquilo que é simples, outros nos deixando nervosos, às vezes nós mesmos ficando nervosos à toa, brigas, discussões, problemas, etc. Tudo isso só para atrapalhar o nosso caminhar. Assim também é o caminho de um ciclista desde o princípio. Se ele estiver pedalando no meio do mato e cair, vai se estrepar todo. Se estiver no asfalto, vai se ralar. Ou seja, independentemente de qual seja a trilha, a primeira coisa que o cara aprender é a ter equilíbrio.

E para se equilibrar é necessário ter movimento. Para ter movimento é preciso pedalar. Quanto mais se pedala, mais preparado se está para continuar pedalando. Na vida é igual, pois precisamos nos movimentar para manter o equilíbrio. Um ser humano que não consegue vencer suas dificuldades e seus problemas, é como alguém que está com a bicicleta parada. Não pedala porque não agüenta o esforço, não agüenta o esforço porque não treina e não treina porque é mais fácil ficar parado. Mas, se a gente parar com a vida, assim como com a bicicleta, a gente cai.

É importante dizer que não é sadio e nem inteligente pedalarmos além do nosso nível de atleta. Então, começar pedalando pouco é normal, desde que vá aumentando o ritmo conforme a experiência e a força chega. Surgirem pedras e sarjetas no meio do caminho também é normal, pois são elas que dão graça no nosso passeio. Imaginem como seria um destino reto, sem subidas, sem descidas, sem obstáculos, sem desafios: seria muito chato!

Converse com um ciclista e ele te contará que escolhe caminhos com obstáculos, pois são justamente esses obstáculos que o farão sentir-se vitorioso no final do trecho percorrido. Mais uma coisinha: às vezes precisamos empurrar a nossa bicicleta morro acima. Nessa situação, pense que mesmo sendo um peso a mais para carregar, ela o ajudará nos outros trechos planos ou de descida. Assim é a vida, às vezes empurramos alguém para cima e depois esse alguém nos ajuda a andarmos mais rápido.

Pra finalizar, eu gostaria de dizer que quem inventou a bicicleta provavelmente diria que é uma das máquinas mais simples que existem: duas rodas, um guidão, uma corrente, duas engrenagens e dois pedais. Mas a nossa vida super simples também, a gente é que complica, porque temos a mania de pensar demais e agir de menos. Então vamos agir, pedalar, correr e buscar o nosso caminho, porque pensar demais não é sinônimo de inteligência. O verdadeiro inteligente é quem transforma o conhecimento em prosperidade.

5 comentários:

  1. Aguinaldo parabéns pelo seu blog é muito bom.

    que Deus lhe abençoe muiiiiito e te dê muita sabedoria para que os desejos de seu coração sejam trazidos a existência e que a cada dia você continue sendo esse empresário visionário que é.

    parabéns,fique com Deus.

    Pr. Júlio.

    ResponderExcluir
  2. Saudações,
    Fiquei encantada com a metáfora. A forma como descreveu este texto ascendeu uma luz sobre o refletir sobre o outro e suas nuances no campo profissional.

    ResponderExcluir
  3. Pedalar requer ação equilibrada e constante para não se levar tombo. Mas um dos aspectos interessantes é que, ao pedalarmos, não temos tempo para parar e tomar fôlego, logo, pedalamos, tomamos fôlego e nos equilibramos. No dinamismo do mundo corporativo temos de refletir, tomar decisões e manter o equilíbrio. Sempre.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom!

    Esse veio em boa hora!

    ResponderExcluir
  5. Katia Andrea Almeida Gomes25 de novembro de 2010 19:17

    Wonderful,

    Parabéns pelo artigo! Uma metáfora muito coerente e verdadeira. Eu como ciclista recentemente tirei muitas dessas lições durante a ultramaratona que enfrentei nos 6 dias na Claro Brasil Ride. A maior lição que tirei pra mim nesses 600km, foi que quando enfrentamos grandes desafios, ficamos um pouco mais preparados para os próximos, mais confiantes e corajosos e os parâmetros diante das dificuldades são outros... Bacana a foto, rs. Um grande abraço!

    Katia Andrea

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!