domingo, 15 de fevereiro de 2009

E alguns ainda falam em ditadura...

Ontem, assistindo à reprise do programa com a Sandra Carnio na TVE de Jundiaí, novamente pude ouvir sobre o período da ditadura militar no Brasil. A Sandra, que atualmente é assessora do pintor Inos Corradin, foi somente mais uma das tantas e tantas vítimas da repressão naquele período. Recentemente tive a oportunidade de conversar também com o Leopoldo Paulino, músico e ex vereador em Ribeirão Preto. Leopoldo viveu exilado durante alguns anos, principalmente no Chile e conta os absurdos de um sistema com ausência de democracia.

Isso me fez lembrar que, em algumas oportunidades conversei com gente que diz que o Brasil está tão desorganizado que somente a volta da ditadura militar para resolver os problemas de violência e corrupção que vemos hoje. Pois é... percebam que o povo, de vinte em vinte anos, descobre que o que acontecia há vinte anos atrás era melhor do que o que acontece naquele momento. Afinal, as pessoas assistem os noticiários e passam a acreditar que antes as coisas eram melhores. Mas a gente sempre pensa que os problemas de antes eram mais simples de se resolver porque eles já aconteceram e acabaram. Ao ver a corrupção e a violência que existe hoje é natural que algumas pessoas digam que somente uma ditadura para resolver.

Vale lembrar que a corrupção que acontecia no período de ditadura não era apenas uma corrupção financeira, mas também de comportamento. As manias que o brasileiro tem hoje de dar carteirada em tudo ainda é herança daquele período. Notem que os policiais de hoje ainda tem a sensação de que podem mais do que o restante da população. Quanto a corrupção financeira então, esta é incalculável. Afinal, hoje ainda a gente fica indignado, mas naquela época, ainda que soubessemos, nem falar poderíamos.

E quanto a violência? Eu pergunto se a violência do tráfico ou de qualquer criminalidade atual é pior do que a violência da polícia e da ditadura dos anos 60, 70 e 80? Um amigo um dia disse que a democracia pouco adianta. Poder se manifestar, na opinião dele, de nada adianta, não muda nada. Eu penso bem o contrário, pois haver democracia é o princípio de qualquer regime justo e decente. Para se combater as injustiças é necessário, antes de tudo, sabermos delas.

Prezados Leopoldo e Sandra: é extremamente importante que pessoas como vocês contribuam para o crescimento da democracia. Quanto mais vocês contarem o que viveram, mais os jovens vão entender o que foram aqueles anos e o quanto o Brasil perdeu com isso.