domingo, 21 de fevereiro de 2010

O mandarim do mundo.

Muitas vezes já me perguntaram, considerando que atuo numa rede de ensino de idiomas, se o Mandarim substituiria o inglês como a linguagem universal de negócios, tendo em vista a inevitável explosão econômica chinesa. Eu sempre disse que não, inculive escrevendo um artigo sobre isso em "Mandarim, o futuro idioma mundial":
http://cronicascorporativas.blogspot.com/2008/05/mandarin-o-futuro-idioma-mundial.html

Mas agora eu gostaria mesmo é de dar um enfoque diferente na questão. Já que acredito que continuaremos a falar inglês ao redor do mundo, qual inglês seria este? Afinal, ao procurarmos os cursos especializados, estão todos eles (escolas, professores, alunos) muito preocupados em ensinar o inglês corretissimo, com suas pronúncias perfeitas e dignas de um lord. Mas será que isso vai nos servir?

Antigamente as pessoas estudavam inglês simplesmente para terem o conhecimento. Posteriormente passaram a estudar para o mercado de trabalho e isso fez com que os mais avisados se preocupassem menos com a perfeição e mais com a comunicação. Mas ainda assim, até mesmo as escolas que tem o foco na fala sem tanta preocupação com a gramática se pegam empenhadas em desenvolver "a melhor pronúncia". Os materiais modernos já vem com CDs acoplados onde há narrações com sotaques britânicos e americanos.

Mas a minha pergunta é: e o chinês? Não é com ele que vamos nos comunicar em ao menos 17% dos negócios industriais? Qual dessas duas pronúncias tem os dragões quando falam inglês? NENHUMA DELAS!!! O povo asiático em especial tem muita dificuldade de falar um idioma ocidental, pois todo o desenvolvimento deles é para outros sons, diferentes dos nossos. Suas sílabas são outras. Eles, por exemplo, não conseguem falar 'Brasil". Reparem que falam 'bu-ra-si-le', pois não se acostumam com o som de duas consoantes, como nós.

E agora? Não fui eu mesmo quem disse que eles falariam inglês? Sim, fui. Mas não somente esse inglês maravilhoso e aveludado que aprendemos na escola. Os chineses falam e continuarão falando o 'inglês deles', cheios de erros e tonicidades completamente diferentes. Um dia um oriental me fez uma pergunta em inglês que, inicialmente eu entendi o seguinte: - where I use my busticat? Fiquei por alguns segundos tentando entender o que seria um busticat, talvez um buster cat ou um catbuster? Visto que não fazia sentido ele teve mesmo que repetir e aí saiu melhor um pouquinho: ele tentou dizer bus ticket!!!

Então, para aliviar o susto do leitor, o que de fato ele precisa é procurar alguém que o ensine a falar o inglês da maneira correta, mas treinando muito 'listening' de diversas origens, para que o mesmo seja capaz de identificar as mais diferentes pronúncias ao redor do mundo. Resumindo, o inglês que o chinês fala é, na verdade, o Mandarim do mundo.

2 comentários:

  1. Olha, me surprendi com esse blog. E não é querealemente faz todo sentido? parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Guinardão, fantástico esse post. Muito bão!

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!