segunda-feira, 5 de julho de 2010

Política do vale tudo


Imagine que você está procurando emprego já há bastante tempo. E observando os classificados, depara-se com uma vaga que te interessa, porém você disconfia que seu Curriculum tem um ponto fraco e que pode te eliminar. Pior que isso, esse teu ponto fraco é algo que você não consegue omitir. O que você faria?

Muitas pessoas simplesmente contam uma mentira. Vou citar algumas que são comuns de encontrarmos.
Endereço:

Por diversas vezes selecionei candidatos que mentiram endereço para poderem ser contratados. Em alguns casos moram em outras cidades e colocam o endereço de um parente para facilitar a contratação. Ao serem contatados pelos telefones com seus DDDs diferentes, dizem que estão de mudança para o endereço informado. Em casos mais extremos, o candidato dá um endereço no curriculum, mas ao ser contratado informa que mora na região metropolitana e pede o VT para o endereço real. As empresas, ao se depararem com casos assim, costumam dispensar o candidato, pois perdem a confiança no mesmo.

Idade:
O ideal é que as empresas não tenham restrições quanto a idade dos candidatos. Eu mesmo não tenho, pois acredito que os mais velhos são inclusive mais fiéis a empresa. Mas percebo que o mercado não pensa assim. Então muitos candidatos simplesmente não colocam idade ou data de nascimento no curriculum. Um dia contatei uma pessoa e me empolguei com a mesma pelo telefone. Como faltavam alguns dados eu perguntei sua idade, que me respondeu 35 anos. Ao receber o candidato pessoalmente, percebi que parecia mais velho. Perguntei então novamente sua idade e a resposta foi 53 anos. Perguntei então o motivo de ter dito outra coisa ao telefone e a resposta foi por acreditar que assim teria chance de ser entrevistada. No final das contas, não me senti a vontade para contratar uma pessoa que teria começado a relação mentindo.

Estudando:
Também é muito comum que os candidatos informem no Curriculum que estão estudando, seja faculdade, idiomas ou cursos profissionalizantes. Mas ao serem selecionados, explicam que 'estão para começar um curso'. Algo do tipo 'estou esperando arrumar um emprego para começar o curso que eu coloquei no curriculum'. Outra coisa comum é que muitos dizem que estão estudando inglês com professor particular, mas aí... depois de meia duzia de perguntas a informação muda, dizendo 'é que eu ainda vou iniciar a semana que vem'.

Enfim, mentir pode até fazer o candidato ser selecionado, mas para poder confirmar a mentira ele terá que inventar mais uma, até ser descoberto. No fim das contas, fica sem o emprego e ainda passa vergonha. O melhor mesmo é contar sempre a verdade. Então, se seu Curricvulum tem um ponto que pode pesar contra a vaga, escreva uma carta ao selecionador e explique como você poderia superar isso. Se vai dar certo eu não posso afirmar, mas seguramente será melhor do que contar uma mentira.

5 comentários:

  1. Mais uma vez eu gostei

    ResponderExcluir
  2. Caro Aguinaldo,
    a mentira infelizmente acabou incorporada ao ser humano e, principalmente no mundo corporativo. Pessoas, no afã de conseguirem uma melhor colocação profissional, lançam mão deste tipo de artifício que cai por terra à primeira entrevista.
    Como ministro palestras sobre comunicação, costumo dizer ao interlocutor que preste atenção a alguns termos que são utilizados para 'ganhar tempo'. Anotaí:
    - quando começam uma frase com 'veja bem...';
    - quando começam uma frase com 'na verdade...';
    - quando começam uma resposta com 'olha, ...'.
    Não precisa de detector de mentira, pois estes são os principais indicadores.
    Pode observar.
    (e isto pq nem vamos falar sobre atitudes corporais e comunicação não verbal. Fica pra uma próxima)
    Pra encerrar, como todo bom leitor que somos, fica aqui uma frase do escritor Mark Twain:
    "Quem diz a verdade, não precisa se lembrar de nada".
    É isso.

    ResponderExcluir
  3. Aguinaldo,
    seu texto me emocionou. Aos 70 anos, 46 de publicidade na área de criação gráfica, sinto necessidade de continuar trabalhando para não morrer de tédio e de chatice. Tédio pessoal e chatice para o mais proximo de mim. Envio currículo, digo a idade logo de cara... e posso assegurar que tem funcionado muito bem: ninguém responde. Assim não perco tempo e tenho certeza de que não eram pessoas com as quais gostaria de trabalhar. Continuo minha busca, como um Diógenes moderno, com minha lanterna à mão, procurando um ser iluminado que pense como você. Um empresário jovem com idéias maduras, que acredita nas possibilidades de parcerias de sucesso junto a profissionais maduros com idéias jovens... Parabéns pela postura. Parabéns pelo comentário, Carlos Cunha. RB

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo anonimo de 70 anos, Querido Roberto Barros, meus sinceros cumprimentos. Fico honrado em receber um comentário seu, principalmente depois de receber seu email pelo meu endereço pessoal no qual pude te identificar. Eu gostaria de escrever sobre você, acredito que terei essa oportunidade em breve. Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Realmente, os comentários citados por voce, engrndeceram ainda mais o que voce escrevu. Já fui muito tentada a dizer mentiras ref idade em curriculum, um pouquinho só, uns 5 aninhos.. mas superei a tentação. Não consegui o emprego, e não sei se ter tido a verdade fez diferença...

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!