sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Quando o profissional perde a fé

Eu já passei por muitas situações difíceis. E creio que se estou aqui escrevendo tudo isso é porque saí delas em condições de caminhar. A questão é que falar de uma dificuldade que tivemos no passado é muito menos complicado do que falar da dificuldade atual, simplesmente porque a atual dói agora. Mas a maioria dos casos que eu vejo de uma pessoa travada e sem rumo é sintoma de quem perdeu a fé. Quando eu digo "fé", não estou me referindo àquela fé religiosa, em sua igreja, seu padre ou pastor, em suas escrituras. Estou falando da fé em si próprio, fé nas coisas positivas, no desembaraçar da situação.

Hoje o mundo é composto de muita energia negativa. Quanto mais os meios de comunicação evoluem, mais o cidadão enxerga as coisas ruins que acontecem e mais abatido fica com tudo isso. No passado não havia tanta divulgação, mas as coisas aconteciam também, a diferença é que nem todos ficavam sabendo. Hoje porém, os jornais procuram a notícia para divulgar e geralmente divulgam o que está fora de ordem, pois o que está correndo bem não é notícia. No passado a violência era tão grande ou pior que a de hoje, as injustiças existiam e não havia onde se reclamar, mas a maioria das pessoas nem ficava sabendo.

Vivemos em constante exposição às energias negativas, mensagens de medo e influências ruins. As pessoas não conseguem vencer e dizem que você não vai conseguir também. Na verdade os fracassados sempre torcem para os que estão ao seu redor fracassarem também.

Imagine a seguinte situação: você sai de casa motivado, acreditando que o seu dia de hoje será diferente, melhor e que tudo vai acontecer de positivo. Você realmente está acreditando nisso até que recebe a notícia que seu melhor cliente cancelou a venda. E aí, como você se sente? Sente que continua com "azar", que nada mudou, que desaprendeu a fazer aquilo que sempre fez muito bem, não é?

E porque isso acontece? Porque é muito mais fácil dar uma desculpa do que fazer. A vida vai batendo e a gente vai ficando abatido, negativo e sofrido. Às vezes um resultado ruim era pra ser passageiro, mas daí o cara se abate e o que era pra ser passageiro se torna permanente, mas por culpa do próprio chorão. E isso só se supera com muita fé.

Então tenha fé!!! Acredite que tudo vai ser cada dia mais próspero. E se a sua vida está boa... acredite que ainda tem espaço para melhorar.

22 comentários:

  1. voce escreveu o que eu tava precisando ler

    ResponderExcluir
  2. Aguinaldo, esse ano você publica o livro? Abraços, Ferreira.

    ResponderExcluir
  3. Posso juntar os dois comentarios anteriores num só e fazer deles o meu? rsrs

    ResponderExcluir
  4. Suas colocações estão bem fundamentadas.
    Concordo com você; afinal de contas, o simples fato de eu estar viva, já é uma prova de que sem fé, nada conseguiremos.

    Somente lutamos por aquilo pelos quais acreditamos. A fé é a força que ultrapassa os limites mortais.

    ResponderExcluir
  5. Suas colocações estão bem fundamentadas.
    Concordo com você; afinal de contas, o simples fato de eu estar viva, já é uma prova de que sem fé, nada conseguiremos.

    Somente lutamos por aquilo pelos quais acreditamos. A fé é a força que ultrapassa os limites mortais.

    ResponderExcluir
  6. Patrícia Mazzei Berol15 de agosto de 2010 22:00

    Aguinaldo, achei muito interessante o seu artigo. Esta semana vivi muito do que você escreveu, em um dos meus trabalhos, e que a vontade de desistir de tudo foi a primeira "solução" que encontrei. Entretanto, consegui suportar o que senti e transformei em um desafio para mim...ainda bem que podemos recuperar a fé em nós mesmos, não é? Um abraço, Patrícia.

    ResponderExcluir
  7. Guina, gostei do texto! E gostei também do tema, embora trabalhamo isso muitos dias durante todo o meu período no trabalho. Independentemente disso recebi isso como se fosse a primeira vez.

    Quero agradecer por todos os seus textos e por nos fornecer essa fonte inspiradora.

    As suas equipes sempre são de vencedores. Não me baseio em resultados apenas, mas pelo líder que os ensina o caminho e pelas pessoas que nos tornamos!

    Sou grato e sempre serei pela oportunidade que a mim foi dada de crescer e evoluir como jamais imaginei.

    E é isso meu caro. Não sou muito bom com as palavras, você percebeu!
    Então encerro por aqui!

    Um forte abraço.

    Danilo!

    ResponderExcluir
  8. Aguinalo, muito bom esse blog.... me fez lembrar bastante do tempo de uptime, muita coisa que apreendi lá me ajuda até hoje. um abraço!

    ResponderExcluir
  9. Oi Aguinaldo, li seu artigo e gostei muito!
    Suas colocações são sempre muito pertinentes!
    Lembrei-me de uma situação aqui do escritório, onde o preconceito prevalece e o machismo supera qualquer barreira.
    Se não fosse a "fé" que tenho em mim e na minha capacidade, garanto que estaria longe! Mas não devemos abandonar o problema e esperar que ele se resolva, mas devemos enfrentá-lo, de cabeça erguida, com humildade e responsabilidade. Acredito que esta seja a fórmula do sucesso.
    Parabéns pelo artigo.

    ResponderExcluir
  10. As pessoas hoje em dia se envolveram de tal maneira no que as pessoas , a sociedade, os meios de comunicação dizem que é certo ou errado, que se perderam nelas mesmas, já não sabem mais quem são, e isso gera uma angústia que muitas vezes se desenvolve em depressão ou até em outras doenças.

    Aí elas se perdem e não encontram força ou energia para terem Fé.

    A cada conquista ou derrota descobrimos mais de nós mesmos, e a cada passo dado nos fortalecemos ainda mais e adquirimos mais Fé.

    Enfim, mais importante do que o que acontece em nossa vida, é como reagimos a isso que fará realmente a diferença.

    Parabéns Guina pelas matérias e pelos assuntos escolhidos.Com certeza visitarei muitas vezes seu blog.

    Um forte abraço!!!

    Marcos Stefani
    marcos@1234voce.com.br

    ResponderExcluir
  11. Fazia tempo que eu não acessava seu blog, rs, gostei muito do artigo, é exatamente tudo que estou vendo na pós, rs, muito bom!!
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Muito bom Guina...como sempre!

    Obrigao por me mandar o link.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Muito bom Guina, tão bom que utilizarei na minha próxima reunião ,se permitires é claro, rsrsrs.

    Ps: Que tal eleborar um sobre a geração Y ? Fica a dica, abraçao.

    ResponderExcluir
  14. Aguinaldo,
    Pra vc que conhece um pouco da minha historia, sem falsa modestia, esta "fé" é meu norte. Por isso hoje "Tudo acaba em Pizza"- jajajaja - para mim.

    TFA

    Carlos Mai

    ResponderExcluir
  15. Poxa, gostei muito! Realmente sobre a fé, concordo! Se você não acredita no que faz, não vai nada pra frente. E se você não supera as barreiras com a fé de que pode melhorar, perde-se o sentido da vida!
    Mas gostei mesmo da análise do pastor sobre quando se discute religião!
    Parabéns. Vou aparecer mais pelo seu blog meu caro!

    ResponderExcluir
  16. Aguinaldo, sobre isso, te mando um ótimo texto do site Momento Espírita. As palavras falam por si mesmas.

    A razão e o dever

    As reclamações a respeito de dificuldades são comuns entre os homens.

    De forma aberta ou velada, incontáveis pessoas dão a entender que se consideram injustiçadas pela vida.

    Reputam merecer mais do que têm.

    Desejariam ter esposas ou esposos mais compreensivos.

    Gostariam que seus filhos fossem mais estudiosos e comportados.

    Apreciariam dispor de mais salário e menos trabalho.

    Reclamam das agruras da profissão.

    Consideram qualquer dificuldade, física ou moral, sumamente injusta.

    Doenças são uma catástrofe imerecida, problemas financeiros representam um desastre iníquo.

    É comum ouvir-se alguém falar do desejo de jogar tudo para o ar e sumir.

    Como bem poucos o fazem, tem-se aí um certo sinal de maturidade.

    Entretanto, a real maturidade se revelaria ao assumirmos a própria realidade, tal qual se apresenta, sem reclamações.

    A Lei Divina é perfeita e cuida de todos.

    No mundo há homens injustos, mas não injustiçados.

    Sempre se tem, em qualquer drama, um processo de retificação e aperfeiçoamento.

    O dever mais elementar entre os homens reside na fraternidade.

    Eles se devem amparar mutuamente.

    Contudo, vítimas injustiçadas a rigor não existem no mundo.

    Nas situações mais dolorosas, há uma matriz no passado, a clamar por correção.

    A vida é inegostável, ninguém jamais dela escapa ou consegue burlar suas regras de equilíbrio.

    Assim, importa prestar muita atenção nos próprios deveres.

    A razão se ilumina pela reflexão a respeito da Justiça e da Bondade Divinas.

    Sendo Deus sumamente justo e bom dá a Seus filhos o que merecem e precisam.

    E também manifesta por eles grande desvelo, na figura de moratórias e oportunidades de utilização do bem para retificar o mal.

    * * *

    Com sua razão esclarecida por essas reflexões, procure encarar seus deveres de modo positivo.

    O trabalho não é um castigo, mas uma forma de ser útil ao progresso coletivo.

    Não busque folgas demais, para não gastar mal o precioso tempo que a Misericórdia Divina lhe facultou.

    Veja nos irmãos de trato difícil seus credores de erros do pretérito.

    Agora, mais digno e maduro, você tem condições de amparar, compreender e perdoar.

    Seu exemplo de conduta digna pode ser um farol nas existências dos que o rodeiam.

    Identifique em cada crise uma chance de se superar.

    Se a vida lhe exige certos tributos, você pode e deve dá-los.

    Submeta-se aos desígnios superiores e faça o seu melhor.

    O dever bem cumprido é o seu passaporte para a felicidade.

    Pense nisso.


    Redação do Momento Espírita.
    Em 19.08.2010.

    Fonte: http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=2710&stat=0

    ResponderExcluir
  17. Como homem da comunicação, costumo soltar alguns editoriais no rádio. Me lembro de um que fiz, recentemente, sobre motivação.
    Com falei de improviso, uma das frases que me recordo no fechamento é: Busque motivação em você mesmo. Pois a sua motivação é sempre diferente da dos outros. Não deixe que fatores externos te condicione.
    Auto-ajuda?
    Não.
    Acho que raciocínio mesmo.
    Pra que perder a fé em si mesmo?

    ResponderExcluir
  18. Acho que o profissional começa a perder a fé quando ele acha que tudo é igual ao que já aconteceu antes. É o cliente que vai encher o saco e não vai comprar, é o prefessor que achar que os alunos de hoje em dia não são mais os mesmos, ou médico que acha que o paciente está com frescuras e não quer nem ouvir o que este tem para dizer antes de fazer um diagnóstico errado que pode ter uma consequência desastrosa... acho que a cada dia, por mais parecido que seja com os anteriores, esconde sempre algo de novo.. cabe a nós tentar achar algo novo em algum detalhe alguma oportunidade para tornar-se diferente e fazer e toda a diferença.. um cliente que é atendido como se fosse o único, um aluno que senti-se capaz diante de um professor, ou um gerente que trabalha motivando sua equipe porque conhece as limitações e ambições de cada funcionario... atentar para todos esses detalhes pode ser uma forma de manter a fé acesa e seguir em frente !
    Cassiano Berol

    ResponderExcluir
  19. Oláá Aguinaldo! Há algum tempo eu não passava por aqui... bom estar de volta!!!
    Gosto muito de como escreve e da diversidade das coisas sobre as quais escreve, mantendo a simplicidade e a clareza. Quando li esse texto em específico, a primeira coisa que pensei foi: "tente dizer a alguém negativo que ele(a) tem outras opções, sem ser o papel de vítima!!" Há pessoas que se irritam ainda mais!! Nós mesmos muitas vezes nos prendemos em atitudes desgastadas e que não funcionam por teimosia e orgulho!
    É de se pensar!! Acredito muito que possamos melhorar tudo que quisermos em nós se pensarmos que somos nosso maior projeto...
    Um graande abraaço!!!

    ResponderExcluir
  20. Oi Guina, tudo bem?

    Me avisa qdo escrever o livro viu!
    tbm quero comprar..rsrsr

    Adorei o Blog!

    Abração

    ResponderExcluir
  21. Aguinaldo,
    Grande homem com coração de menino!
    Se pudesse te definir em poucas palavras seria Força e equilíbrio. Fico muito feliz por este blog, pois têm muito à acrescentar em nosso dia a dia.
    Sucesso!!
    Débora Costalonga

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!