terça-feira, 21 de setembro de 2010

Para onde você envia o seu Curriculum?

Tenho uma amiga psicóloga que atua como selecionadora numa agência de empregos. Seu trabalho é anunciar as vagas, selecionar os currículuns e entrevistar candidatos. Ao final ela define os selecionados e manda para a empresa que solicitou. Nesta semana eu conversei com ela sobre os desafios de encontrar os candidatos ideais e contamos um para o outro historinhas parecidas, que poderia ser fundida em uma só.

Imaginem a situação: Você é um selecionador e coloca um anuncio numa mídia específica (jornal, classificado de empregos, site especializado na internet, etc.) pedindo pessoas para o cargo de VENDEDOR EXTERNO. Tem o cuidado de deixar bem claro no anúncio o cargo, o salário, a empresa e o fato dessa vaga ser para o profissional trabalhar externamente. Chegam cerca de 200 CVs e você calmamente observa pontos importantes, selecionando 40 deles.

Na manhã seguinte é dia de contatar as pessoas pelo telefone. Ao fazer, você se apresenta, cita novamente o anuncio, o cargo e a empresa, perguntando se o candidato se lembra que enviou o CV. Para sua surpresa (ou não) ele não se lembra do anuncio e se põe a te sabatinar sobre a vaga, salário, benefícios e tudo mais. Pacientemente você explica que por enquanto está apenas telefonando para agendar uma entrevista onde tudo será esclarecido. Então o candidato se aquieta e te ouve, anota horário e endereço da entrevista.

Quando já está se despedindo, você nota displicência do candidato e então resolve perguntar se realmente ele quer participar da seleção e a resposta é: “Então... acho que não me interessa por ser vendas. Eu estou procurando mais na minha área”. Aí você, numa forma até de bronquear com o seu interlocutor o questiona do motivo pelo qual ele enviou um CV para a vaga de VENDEDOR EXTERNO se não que trabalhar com vendas. E a resposta é que “estou enviando para tudo o que aparece, mas como estou estudando administração eu prefiro na minha área”. Ao ouvir tal justificativa, você entende que realmente o mundo está de pernas pro ar. Agora ser candidato é mais nobre do que ser selecionador.

O candidato manda seu CV pra tudo sem nem ler o anuncio e não imagina o desfio que é contratar um bom profissional. Então a minha mensagem final é: Somente se candidate a uma vaga quando você realmente tiver interesse por aquela área. Se não tiver não o faça, pois além de tomar inutilmente o tempo do selecionador, você ainda faz concorrência com quem realmente precisa trabalhar. Se agendar uma entrevista, não falte e se pretende faltar, não agende pois do outro lado da linha há um profissional que ganha a vida fazendo seleção. Pense que se você tiver sucesso na sua profissão, muito provavelmente um dia estará do outro lado, precisando contratar. Aí verá o quanto é difícil.

4 comentários:

  1. INTERESSANTE COMO NINGUÉM PENSA NO OUTRO.

    ResponderExcluir
  2. Por também estar "do outro lado da mesa", fico impressionado quando ouço noticias que 7%, 6% da população está desempregada e pior fica quando me deparo com desempregados com pouco interesse em TRABALHAR, porque a maioria esmagadora que um emprego: "te dou 8h do meu dia e você me o meu dinheiro no final do mês" - realmente desafiante contratar nos dias de hoje...

    ResponderExcluir
  3. Por também estar "do outro lado da mesa", fico impressionado quando ouço noticias que 7%, 6% da população está desempregada e pior fica quando me deparo com desempregados com pouco interesse em TRABALHAR, porque a maioria esmagadora que um emprego: "te dou 8h do meu dia e você me o meu dinheiro no final do mês" - realmente desafiante contratar nos dias de hoje...

    ResponderExcluir
  4. achei otimo o seu blog, ficou nos favoritos. parabéns

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!