terça-feira, 9 de novembro de 2010

Quer trabalhar para mim?



Ao longo de "todos esses anos nessa indústria vital"... (perdoem-me meus leitores, mas não resisti a chance de escrever uma célebre frase de um dos episódios mais conhecidos do Pica-Pau) ...tive a chance de ouvir muitos jargões que se perpetuaram anos após anos pela boca de milhares de profissionais. Nesse artigo, eu gostaria de citar um deles que, na minha modesta visão, não faz o menor sentido. Pior do que não fazer sentido, é que baseado na ciência da neurolingüística, ele desmotiva o profissional.

Muitas ofertas de emprego são feitas com essa frase. Lembro-me de uma vez, quando eu era gerente comercial de uma unidade da empresa no bairro do Brooklin, em São Paulo, que recebi uma ligação telefônica de um concorrente ao qual eu havia conhecido em uma feira algumas semanas antes. A conversa fluía nas tradicionais cordialidades quando surgiu o já esperado flerte, porém com a seguinte expressão: - Aguinaldo, quer trabalhar pra mim???

Aquilo que poderia ser um estímulo ou uma oportunidade, pelas palavras do meu interlocutor soou como uma ofensa. Afinal, profissionalmente eu só trabalho para mim... Eu acordo de manhã e o que me motiva a trabalhar são os meus objetivos e não os do meu patrão. O que me faz buscar um resultado a mais é o meu bem estar e não o do dono da empresa. É claro que meu instinto de equipe me faz trabalhar por todos, mas racionalmente o que me fez sair de casa num determinado dia para procurar emprego foi o meu futuro profissional e não o de mais ninguém.

É importante dizer que quem trabalha pelo coletivo está mais próximo do sucesso do que aquele que é interesseiro ou individualista. Mas trabalhar para os outros é diferente de trabalhar pelos outros. Um escravo trabalha para o outro, um voluntário trabalha pelo outro. Portanto, se quer motivar seu funcionário, dê a ele motivos que possam ser dele também, como a boa evolução da empresa e a oportunidade ou estabilidade que isso vai gerar.

Quando há 9 anos eu resolvi empreender e virei dono do meu próprio negócio, vim com essa mesma certeza: “Ninguém vai trabalhar para mim”. Ou seja, as pessoas podem trabalhar na minha empresa, mas jamais para mim. As pessoas fazem as tarefas que eu oriento, se envolvem pelas minhas emoções, seguem minhas coordenadas por diversos motivos (interesses de ascensão, carreira, remuneração, estabilidade, reconhecimento, etc.), desde que esses motivos sejam de interesse comum. A mim cabe conscientizá-los, cobrá-los e motivá-los.

Em outras palavras, cada profissional trabalha para si mesmo, ainda que na empresa do outro. Nunca vi ninguém (a não ser o personagem Waylon Smithers, de Os Simpsons) acordar de manhã e pensar: - hoje eu vou fazer o meu patrão feliz!!! É mais razoável que alguém pense: - Vou fazer meu patrão ficar feliz com meu trabalho para que eu possa ser, de alguma maneira, reconhecido.

Enfim, faça sempre de uma maneira que a sua equipe sempre tenha vantagens nos processos. Assim eles se sentirão donos e trabalharão como donos. E essa é a maior motivação.

4 comentários:

  1. Aguinaldo, muito significativo este post seu do 'quer trabalhar pra mim'.
    Como sempre costumo dizer, todo profissional (sério) não deve buscar motivação na empresa em que trabalha, por mais Top of Mind que ela seja.
    É necessário que o profissional se motive nos seus objetivos, pois, o mundo corporativo decepciona, principalmente àqueles que depositam 'na firma' todas as suas chances de crescer na vida.
    Trabalhe por si e pelos seus objetivos!
    Legal o post

    ResponderExcluir
  2. Eu quero!! Rsrsrs...

    Ótimo, vou mandar esse texto para o pessoal aqui da empresa ler.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Mais uma preciosa dica!

    ResponderExcluir
  4. Mais uma valiosa dica!

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!