sábado, 29 de janeiro de 2011

Vai entender o ser humano!!!


O maior problema do Adilson é a dívida que contraiu ao longo de um período em que ficou desempregado. Segundo ele conta, passa noites sem dormir pensando nos juros, no fiador e na sua capacidade de continuar se sustentando. O irmão dele diz que isso é normal e que vai passar, pois dívida todo mundo tem por um período na vida. Este último diz que problema mesmo é o que ele enfrenta agora, com sua separação litigiosa, sua ex-esposa com raiva e a nova namorada irritada com essa situação.

A Anita tem como maior problema a data de vencimento do IPVA do seu carro, que é antes do seu dia de pagamento. Ela está irritadíssima com o governo que é insensível ao problema de cada um. O filho dela, Alex, é estudante, tem 17 anos e não que fazer faculdade no ano que vem porque disse que quer descansar. Segundo Alex, o seu maior problema é que seus pais não o entendem e acham que ele tem que ser uma máquina de saber.

A outra filha do casal, Alessandra, quer pintar o cabelo de verde e colocar um piercing no lábio, mas os pais dizem que não pode. Seu pai inclusive autorizou o adereço no nariz, mas no lábio não e esse é o problema que tira o sono dela. Seu namorado Jaques está aflito com a possibilidade de servir ao exército, pois se alistou agora em janeiro. Jaques diz que não consegue parar de pensar nem por um instante sobre a possibilidade de ser obrigado a entrar num quartel por um ano de sua vida.

O Guilherme tem 14 anos e está “ficando” com uma menina, mas a mãe dela não deixa que eles se vejam, pois acha a filha muito nova. Faz umas duas semanas que o garoto anda meio desconcentrado e com pensamento distante. O irmãozinho dele tem 8 anos e passa quase que o dia todo na quadra do condomínio jogando bola. Ele está bravo e chega a chorar porque os meninos mais velhos não o deixam jogar basquete, pois é baixinho demais. E o outro irmão de 4 anos está “doente” pela morte da cachorrinha Stella, que foi atropelada.

Mas interessante mesmo é o Nabor, de 15 anos, que estava empenhado em ganhar um tênis de marca no Natal e, segundo falava abertamente, se não o ganhasse não sairia mais na rua, pois não admitia que todos tivessem aquele tênis e ele não. Acontece que uns dias antes do Natal ele teve sua bike roubada e aceitou fazer um acordo com o pai: me dá outra bike e o tênis pode ser de uma marca mais barata.

Engraçado como as pessoas tem problemas diferentes, mas todos acham que os seus são maiores que os dos outros. E quando resolvemos o nosso maior problema, passamos a eleger os problemas menores como insolúveis. Parece que quando não temos problemas grandes, os menores crescem. Não crescem?

Vai entender o ser humano!!!

Um comentário:

  1. Recentemente, passei por uma serie de problemas. Parecia que tudo de ruim estava acontecendo. Sabe quando se resolve uma coisa e aparece outro problema? Indubitavelmente não ha quem não se ponha a reclamar. Colocamos a culpa no sistema, na desorganização, nas companhias publicas e principalmente na má-sorte.
    Porem, tudo isto que acontece depende integralmente de nós mesmos. São problemas prenunciados que nós não temos a capacidade, perspicacia ou até vontade de enxergar com antecipação.
    Depois que acontece, só nos resta reclamar...
    E' isso ai.

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!