segunda-feira, 13 de junho de 2011

Quem motiva o motivador?


Hoje, por duas vezes, eu me deparei com uma mesma situação muito curiosa: tentar motivar uma pessoa resistente a ser motivada. E embora esse tema valha essa crônica, não é nem um pouco um assunto incomum. São muitas as ocasiões onde percebemos uma pessoa se lamentando mesmo tendo diversas oportunidades para virar o jogo enquanto outra quase se ajoelha em sua frente pedindo que se anime. E por que ela não se anima? Por que o ser humano tem a tendência de transferir para outras pessoas a culpa de seus desatinos e de tudo que dá errado em sua vida.

Então se o trabalho não está bom é por culpa do patrão, se o projeto não saiu é por culpa da prefeitura, se o dente está doendo é por mau trabalho do dentista e por aí vai. Às vezes até é mesmo... mas tenho alguma dificuldade de acreditar que uma única pessoa seja escolhida para ter todo o azar do mundo. Na verdade o que acontece é que o cara desencana do emprego ou do objetivo e fica esperando que alguém venha o bajular e convencê-lo a pensar o contrário e isso na gíria urbana é conhecido como "fazer c...doce".

As empresas atuais mantêm sempre um motivador, seja ele o gestor de RH, o chefe de vendas ou, em alguns casos, o próprio empresário. Este motivador tem a tarefa de manter a equipe focada, com seus objetivos desenhados e sua fé inabalada. Mas de tempos em tempos um integrante da equipe se torna resistente a essa motivação e começa a trabalhar como se o objetivo não fosse dele... como se nem a metadezinha do objetivo fosse dele. Começa com aquela cara de coitado, aquele discurso de “não sei o que está acontecendo comigo” ou algo parecido... o trabalho não rende e o mesmo fica só se lamentando. Quando o motivador vai conversar com ele, vem uma resposta do tipo “não sei... não sei se é isso que eu quero...” ou “acho que preciso por minha cabeça no lugar...”. E tudo isso acompanhado de um baita “pouco caso”.

O caminho normal é que o empresário motive o gerente, que motiva o supervisor, que motiva o vendedor, que motiva o trainee e, este último motiva o estagiário. E é aí que vem a minha pergunta: quem motiva o empresário??? A resposta óbvia é que são seus próprios ideais... o empresário é um bicho motivado pelos seus próprios sonhos. Mas acontece que se o profissional a quem ele está tentando motivar dá uma de difícil e se torna resistente, é bem possível que o motivador se irrite, o abandone e vá buscar outro a quem motivar. E o desmotivado continue... desmotivado. É por isso que a gente sempre diz: motive também o seu motivador!

Motivar o motivador a te motivar é muito importante. Faz de contas que isso não está escrito aí atrás, então eu vou repetir: motivar o motivador a continuar te motivando é muito importante. Pois o empresário ou gestor é invariavelmente uma pessoa persistente, mas não é trouxa... então se ele perceber que você está fazendo o tal do c...doce, ele vai desistir de você e aí pra retomar a mesma motivação leva tempo. O meu conselho é que você, profissional, esteja sempre interessado em motivar o seu motivador. E como se faz isso? Dando retorno e resultados... mostrando que o esforço do motivador que sempre foi buscar um motivo não tem sido em vão. É simples!


.

7 comentários:

  1. Excelente!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Aguinaldo!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, parabéns pelo texto, é exatamente assim que acontece!!!

    ResponderExcluir
  4. Pois eh GUINA! Auto motivação e uma arte, mas com a ajuda do "motivado" fica muito mais suave!

    ResponderExcluir
  5. Auto motivação e uma arte, mas com a ajuda do "motivado" fica muito mais giro!!!

    ResponderExcluir
  6. Debora Fontes Martins14 de junho de 2011 14:07

    Muito bom Agnaldo, as vezes eu me sinto igualzinho o moço da foto, que só falta estender um tapete vermelho para as pessoas mas elas nao dao valor. Ao ler seu texto me sinto até mais confortavel por saber que nao é somente comigo.
    Debora

    ResponderExcluir
  7. Outro dia eu estava até pensando nisso: trabalho em equipe também (ou acho que trabalho) e, num dia destes, estava observando o comportamento da turma: alguns querendo fazer até mais do que deviam (do jeito que achavam ser o certo) e outros absortos em nem sei em que pensamento. Isso me fez raciocinar com relação a este tipo de motivação nas empresas. Muitas vezes, Aguinaldo, o empresário não faz o mínimo esforço para motivar e espera que a própria equipe se motive - já ouvi um deles dizer que, quando o time é pequeno, um tem que fazer o serviço do outro sem ganhar mais nada por isso, rs! piadinha que ele quis contar durante um papo, acho. Por outras, o empresário finge que motiva e o que está fazendo no fundo é 'passar a mão na cabeça do empregado' apenas para ganhar tempo numa reivindicação (que nunca será atendida, claro). Num oooutro caso, acontece de o empregador dar totais condições de trabalho, ambiente propício e o tal funcionário, abstrato à sua atribuição de 'funcionar', simplesmente deixa o barco correr.
    E, convenhamos, esse papinho de 'preciso colocar minha cabeça no lugar' está mais que furado. Quando o peão não quer nada com nada, não quer nada com nada mesmo.
    Quanto ao 'quem' motiva, o que procuro dizer (e tentar fazer valer) é: o nosso motivador é o nosso sonho, nossa vontade de vencer e de fazer diferente. Ultimamente, tenho empregado isso no trabalho, mas tem hora que a gente dá uma 'capengada'.
    Em tempo: direto este post, viu? tem hora que precisamos rasgar o verbo para nos fazer entender.
    É isso

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!