terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Navegar é Preciso, viver é impreciso

Para que uma equipe de trabalho possa atingir seus objetivos, é fundamental que ela saiba o que está buscando. Existem inúmeras equipes que não sabem e nunca vão saber o que é atingir uma meta, simplesmente porque nunca tiveram uma. E além da meta, há que se ter um planejamento para que se possa alcançá-la. Algo como um plano de vôo, uma espécie de estratégia que traçaria os caminhos escolhidos para chegar aos objetivos traçados. Alguns podem até questionar dizendo que, na prática tudo poder sair diferente e seria necessário improvisar... é verdade... mas se não tivemos planos, nem improvisar conseguiremos.

Já que falamos em plano de vôo, creio que seja esta uma boa comparação: A frase “Navegar é preciso, Viver não é preciso”, é inadequadamente usada em alguns discursos populistas, dando mais importância a caminhada do que ao sucesso. Ela ficou muito conhecida entre os brasileiros em 1973, quando Ulysses Guimarães, um fã de Fernando Pessoa, citou o autor em seu discurso para se lançar anticandidato a Presidência da República, em pleno Regime Militar brasileiro. Mas Fernando Pessoa, quando escreveu o poema no início do século passado, também teria citado um general italiano do ano 50 aC.

E o que Cneu Pompeu dizia para suas tropas era justamente o contrário do que se entende hoje... até porque a língua portuguesa trás alguns termos que são ambíguos ou tem dois significados. Precisão, por exemplo, quer dizer algo milimetricamente justo, sem divergência, sem falhas ou margens de erro. Pompeu repetia que “navegar é preciso”, pois o navegador conta com um planejamento preciso. Já a vida, esta prega peças e nos desafia todos os dias a termos uma grande capacidade de improviso. Ou seja, a vida não é precisa... viver depende da nossa capacidade de lidar com o que acontece.

E se navegar é preciso, percebemos no dia a dia muitas equipes sendo lideradas de maneira totalmente imprecisa, ou seja, sem nenhum planejamento. Muitos líderes entram na internet, encontram uma historinha bonitinha e emocionante e saem lendo para todo o seu departamento. Esquecem-se porém, de observar se aquela mensagem é o que a equipe precisa ouvir. Às vezes, dizem hoje uma coisa completamente contrária ao que se disse ontem e confundem totalmente a cabeça dos seus profissionais. Pregam hoje que se aja pelo instinto e, daqui a pouco, que se pense antes de fazer.

Então pergunto a esses líderes: Que tipo de educação querem dar às suas equipes? Será que há uma linha, um norte, um objetivo em seus trabalhos? Será que eles, assim como suas empresas, têm uma missão definida? Na maioria das vezes, não têm! Será que Cneu Pompeu venceria guerras sem ter um norte? Fernando Pessoa encantaria o mundo sem uma missão? Ulysses Guimarães desfiaria Geisel sem um plano de vôo? Então, se navegar é algo preciso, naveguemos com planos que busquem o nosso objetivo de vida. Pois viver, como dizia Ulysses, pode não ser preciso, mas é no mínimo necessário.

4 comentários:

  1. Acredito muito na força da Palavra, mesmo que ela esteja Perdida!
    Você foi Preciso no seu discorrimento!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Aguinaldo, excelente o conteúdo desta matéria e de todo seu blog. Vale muito a pena visitar suas páginas e engrandecer nossos conhecimentos para a vida pessoal e profissional. Abraços Fraternais.

    Denis Hespanha, via Facebook

    ResponderExcluir
  3. Faço minhas as palavras acima

    ResponderExcluir
  4. Antoniel Nascimento4 de setembro de 2012 10:54

    Fiquei simplesmente impressionado com este texto acima. Sou professor universitário e nessa minha carreira da 19 anos em ambiente acadêmico, pouco vi conteúdos tão bons e práticos como neste blog. Parabens pela sua sabedoria e capacidade de comunicação. Abraços, Prof.Antoniel Nascimento

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!