quinta-feira, 3 de maio de 2012

Alguém tem inveja de mim?



Durante toda esta semana, participando do congresso de franqueados do Grupo UPTIME, tenho trocado ideias com profissionais de sucesso, empresários e consultores empresariais, cada um com uma visão ainda mais assertiva do que é empreender. Tenho aprendido diversas coisas, principalmente relacionadas ao tratamento que cada pessoa dá a determinados problemas. E um destes supostos problemas me chamou atenção por ser recorrente, ou seja, mais de 50% das pessoas com quem conversei citam o mesmo fator como uma preocupação: a inveja.

A maioria dos novos empresários, principalmente aqueles que começam a crescer pela primeira vez, queixam-se de serem motivo de inveja alheia. Muitos dizem que quando sentem que colegas, parentes e outros conhecidos se admiram por vê-lo crescer, em muitos casos percebem uma carga negativa emitida pelo invejoso e associam imediatamente aos seus percalços. A inveja, segundo Leon Tolstoy, sempre foi algo que contribuiu com tropeços na caminhada da vida. Talvez o que Tolstoy não tenha dito é que esta influência tenha muito mais a ver com a preocupação e insegurança que a vítima retem do que com qualquer peso real que possa haver.

A minha intenção em escrever esta crônica é contar como empreendedores de sucesso reagem ao sentirem-se invejados. Para tanto, perguntei a dois profissionais as suas visões do assunto. O meu amigo Marcello Marinho Chagas, proprietário de quatro empresas em Goiás, vê o invejoso como um indivíduo digno de desprezo. “Tenho dó de quem permite habitar em seu coração um sentimento como esse”, diz ele, que completa alertando que quem perde tempo em invejar não tem tempo de construir. Warley Nunes, um experiente consultor empresarial, entende que “é impossível se esquivar do sentimento invejoso de alguém, mas se deixar atingir é uma opção que cabe a cada um”. Ele ainda completa dizendo que o empresário não pode se deixar influenciar pelo sentimento negativo dos outros e que quem realmente trabalha não pensa nisso.

Depois de ouvi-los, me lembrei de um episódio que presenciei em 1989, quando eu ainda era repórter fotográfico do Jornal, em Campinas. Na época meu chefe, um cara extremamente “sarrista”, apareceu para trabalhar com uma pimenta vermelha pendurada no pescoço. Imediatamente perguntamos o motivo daquilo e ele respondeu que era propaganda. Propaganda? Do que? A resposta foi didática: “Isso normalmente é usado pelas pessoas para protegerem-se contra a inveja e se eu uso isso, deduz-se que alguém tenha inveja de mim”. Concluiu agora em tom mais sério e menos irônico: “Se alguém tem inveja de mim é porque eu sou bom”. Desde então, quando percebo pessoas com inveja de mim, fico feliz, pois é sinal que estou crescendo.

10 comentários:

  1. Guilherme Peixoto Sanches4 de maio de 2012 08:58

    Boa Aguinaldo. Concordo com cada palavra sua neste blog. Parabéns. Guilherme P. Sanches

    ResponderExcluir
  2. gostei muito do asunto, muitas vezes nós nos inferiorizamos e nos sentimos ameaçadas por não saber lidar com essa situação. Foram palavras bem colocadas que nós não nos damos conta disso.
    parabens pelo assunto, eu gostei muito!

    ResponderExcluir
  3. Fernando Balbino4 de maio de 2012 11:07

    Formidável a abordagem do assunto.
    Vale a reflexão pela pertinencia.
    Penso que alguns colegas em início de carreira se deixam intimidar por este "tipo de coisa" que ocorre em qualquer instituição, diminuindo suas potencialidades e proatividade. Aquilo que não vem para cosntruir ou acrescentar não deve ser valorizado.
    Abraços.
    Fernando Balbino

    ResponderExcluir
  4. Como diz os adesivos nos vidros dos carros e parachoques de caminhão: A Inveja é uma merda!
    Realmente, somos nós que nos deixamos abater quando ela se manifesta atraves de alguem. O detalhe aqui não é saber de seus danos e causas, se não estar preparados para enfrenta-la. Nem sempre estamos nas melhores condições para, internamente, lidar com estas situações (apatia, preocupações, insegurança, stress...).Quando nos damos conta ela, a tal da inveja, ja se instalou e nos faz cair. Alem da saude fisica que é de extrema importancia devemos cuidar muito da nossa saude emocional e psiquica. Só assim teremos o nosso proprio antidoto contra a inveja.
    Falado.
    Carlos Mai

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, boa a colocação.Acrescento o seguinte, nós somos como uma torre de rádio ou tv, para captarmos cada canal, precisamos estar sintonizados na mesma frequência do emissor. A inveja também tem uma frequência e para que ela lhe incomode é preciso estar na mesma sintonia, portanto só atrapalha quem quer e é igual ao emissor. Quem tem a mente ligada no crescimento e amor, só vai chamar pra si crescimento e amor, pois é a sua frequência emissora e receptora.
    Gostei da postagem, continue assim... mais uma vez , Parabéns.
    Sergio Bayer

    ResponderExcluir
  6. Saber que é invejado não é motivo de alegria.
    Prefiria pensar como uma oportunidade em fazer a diferença na vida de alguém,
    que o mesmo sucesso que obtenho ele pode alcançar,talvez ai até rolar uma amizade.
    Fazer do "inimigo" um amigo.
    Sabrina Chiareli

    ResponderExcluir
  7. Concordo contigo! Parabéns pela matéria!
    Débora Costalonga

    ResponderExcluir
  8. Acreditando ou não, às vezes só por Deus mesmo, rs!
    Vamos colocar um pouco de música neste papo pesado, credo!
    http://www.youtube.com/watch?v=zwHArG7XI_s
    É isso.

    ResponderExcluir
  9. Cristina Rabello Prata8 de fevereiro de 2013 11:59

    Concordo plenamente... Otima matéria.....

    ResponderExcluir
  10. A negatividade inexiste se estiver fora de seu foco! Mas, se a mente se distrair, faz igual o Carlos Cunha... coloca uma música!!! Armadura como esta não tem igual!!!

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!