sexta-feira, 11 de maio de 2012

Pra ganhar, foi preciso saber perder

Recebendo o prêmio do Chairman Sergio Monteiro
Há um ano, escrevi neste blog a crônica “Preste Atenção nos Detalhes” e citei o prêmio “Very Important Franchisee” do qual eu e Ricardo Halalouani participamos no ano passado e ficamos entre os 3 melhores, porém não conseguimos o primeiro lugar. Esse prêmio é anual e serve como reconhecimento do Grupo UPTIME a melhor franquia da rede em um conjunto de quesitos de excelência. Na época eu escrevia o sentimento de termos chegado como finalistas e associava a detalhes o fato de não termos sido os vencedores. Eu dizia ainda que no ano seguinte faríamos diferente e chegaríamos mais competitivos.

Eis que nesta última semana estivemos no Grande Hotel e Termas de Araxá, em MG, para participarmos do Congresso Nacional de Franqueados 2012 e, como em todos os anos anteriores, concorrermos a premiação em questão. O planejamento deu certo, ganhamos o “Franqueado do Ano” pela segunda vez (fomos vencedores também em 2008) e nos tornamos o primeiro bi-campeão da rede. Obviamente isso é motivo de muita honra, de bastante orgulho e satisfação pelo trabalho realizado no período. Mas depois de alguns dias, o pensamento se torna mais racional e começamos a avaliar o que teria nos levado ao título. A resposta veio ontem, quando eu conversava informalmente com um amigo.

Com Jamel e Marcello, de Anápolis.
Ele lembrava do tenista Gustavo Kuerten que foi um grande ídolo nacional nos anos de 1990. Guga, como era conhecido, ganhou o torneio de Rolland-Garros inesperadamente e, nos anos seguintes, se acostumou com vitórias e vitórias, tendo inclusive experimentado o posto de melhor tenista do mundo. Alguns anos depois, diante de uma contusão, ficou temporariamente afastado do esporte. Quando voltou, ainda fora de sua forma ideal, declarou que seu maior desafio agora seria “aprender a perder”, pois admitia que não estava habituado com isso. Segundo ele, saber tirar proveito de suas possíveis derrotas seria um ponto fundamental se quisesse voltar ao topo.

Coloquei-me a pensar o quanto isso teria acontecido conosco na nossa empresa, pois já havíamos admitido no ano anterior que não estávamos mais com tanto foco nos índices de classificação da franquia. Dávamos mais importância a lucratividade final do que aos índices que, supostamente, levariam a ela. E lá em Buenos Aires, quando nos vimos pertinho de mais um troféu, porém sem poder levantá-lo, decidimos que voltaríamos a ser criteriosos. Em vez de ficarmos frustrados com o resultado na Argentina, ficamos mais motivados a melhorá-lo-lo no ano seguinte. Se tivéssemos dado espaço a frustração, dependeríamos certamente de uma lenta e custosa recuperação.

Eu e Ricardo comemorando a vitória
Mesmo acreditando que as unidades do Triângulo Mineiro e Goiás eram as favoritas, não havíamos perdido a esperança. Entre os 3 finalistas, além de nós, ficaram Uberlândia e Americana (nos surpreendemos com a não classificação de Anápolis) e num determinado momento, já em cima do palco, ouvimos que a vencedora seria uma unidade do interior paulista. Nessa hora, a certeza de que nossas chances de vitória eram concretas já se mantinham na minha mente e alguns segundos depois a placa estava em nossas mãos. Ao levantá-la, tanto eu quanto o Ricardo refletimos sobre todo o nosso trabalho durante o ano, lembramo-nos das pessoas que nos ajudaram, que tiveram espírito de equipe e lutaram pela conquista. E assim como temos a certeza de que somente vencemos porque soubemos perder, estamos convencidos que somente voltaremos a levantar outra taça se soubermos absorver com humildade e naturalidade, desde já, essa vitória.

(agradecimentos especiais a todos aqueles que, ainda que por um único dia, nos ajudaram a chegar a este título, seja como funcionários, prestadores de serviço, fornecedores ou clientes.)

4 comentários:

  1. É isso mesmo...refletir e aplicar o que advém da reflexão é essencial para promover mudanças reais em nossas vidas!

    ResponderExcluir
  2. Bela reflexão Aguinaldo e Ricardo. Lembro do artigo do ano passado no blog e isso é que eu chamo de falar e cumprir. Parabéns!
    Ana Tereza Valle

    ResponderExcluir
  3. Parabens pelo premio!
    Parabens por toda sua historia profissional, da qual posso dizer que conheço boa parte atraves de anos visitando seu blog e admirando cada vez mais.
    Sucesso sempre!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo excelente trabalho , esse é o resultado, vcs merecem.

    ResponderExcluir

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!