segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Crise: só para a "Elite Branca"?


Estamos no Brasil, em 2015 e o assunto do momento é a crise financeira que afeta o país. Esta crise (que além de financeira, é também política, se instalou no país de forma consistente e afeta o coletivo. Essa história de que somente impede o rico de viajar e comprar carro importado é papo de quem não entende de economia de mercado. Não são apenas os ricos e nem apenas os pobres, mas sim o coletivo que é prejudicado. Numa economia de mercado não há "nós e eles"... Há "todos" e cada um será prejudicado em sua particular zona de conforto. Não importa se ela (a crise) vai afetar diretamente no poder aquisitivo para produtos básicos ou supérfluos, mas o fato é que um puxa o outro.

Quando um rico vai a Paris, ele gera emprego na agência de viagem... Quando compra jóias, gera emprego na joalheria e na fábrica de jóias... Quando vai a um restaurante, gera emprego para o garçom, para o cozinheiro, e etc. É importante para o país que seu povo consuma. Há muitas agências de viagem fechando com o dólar à R$ 4,00 e isso interfere no emprego. Se a construtora quebra, o pedreiro perde o emprego e o cidadão que investiu seu FGTS no apartamento na planta perde o sonho. Quando um pobre emerge para uma classe social mais alta, ele contribui para a economia e ganha poder de consumo, o que é bom para toda a cadeia econômica existente. O pobre, quando cresce, gera riquezas para o coletivo. Na sua ascensão, ele compra móveis, carro e apartamento, se matricula em faculdade e passa a buscar diversão, o que movimenta a máquina econômica e gera riquezas a todos.

Resumindo: todos temos o que reclamar da crise sim e todos precisamos trabalhar pra que ela seja apenas breve... Não caia nessa lorota que os esquerdistas contam dizendo que a "elite branca está brava porque não pode mais ir a Miami". Ir a Miami com seu dinheiro próprio e honesto não é nenhum crime.

E para lidar com a crise?

Também não adianta só guardar dinheiro... Guardar e guardar e só guardar contribui ainda para mais crise. O que precisamos é fazer a economia girar, mas gastar sem loucuras e sem se enforcar. A inadimplência também alimenta a crise. O empresário precisa investir e atrair consumidor e o empregado precisa trabalhar bem para manter a sua empresa competitiva. Quanto mais o comércio vender, mais a indústria produzirá e mais empregos serão gerados. Com o emprego em alta, os salários aumentam e o pobre deixa de ser pobre... E assim, não há crise que resista.

Receita pra sair da Crise: Cada um no seu quadrado, mas colaborando para o quadrado do outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para comentar este artigo, escreva seu comentário, assinale a opção "NOME/URL" e clique em "publicar comentário".

SUA OPINIÃO, FAVORÁVEL OU CONTRÁRIA, É FUNDAMENTAL PARA MOTIVAR O BLOGUEIRO. NÃO DEIXE DE ESCREVER!