quarta-feira, 30 de março de 2016

Em tempos de crise entre os "Millennials", comporte-se como um "BabyBoomer".


Os "Baby Boomers" são aqueles indivíduos nascidos nas décadas de 40 e 50, até meados da década de 60. Depois deles, vieram as Gerações "X" e "Y", esta última com uma parte dela mais conhecida como "millennials", ou seja, pessoas com comportamentos típicos do novo milênio. A diferença comprovada entre estas 4 gerações está em, além de outros fatores, seu comportamento diante das crises.

Em especial, os millennials, não tem experiência em lidar com elas. São pessoas jovens, com menos de 30 anos de idade e não tem lembrança dos momentos de instabilidade que o Brasil viveu. Eles começaram a ter entendimento de economia, mercado de trabalho e política há 10 (ou no máximo 15) anos e, de lá pra cá, o nosso país vivia um momento de tranquilidade muito bom, o que fez com que os jovens não criassem anticorpos para se protegerem destes perigos. Em alguns momentos foi chamada pelos mais velhos de "Geração Shopping Center" ou "Geração Micro Ondas", especialmente pela forma imediata que podiam resolver seus conflitos... tudo estava ao alcance das mãos e em pouco tempo. 

Ao mesmo tempo que essas pessoas são extremamente competentes em suas tarefas, uma vez que dominam tecnologia, elas tem dificuldade de comandar seus sentimentos e suas reações psicológicas. Se irritam com a demora dos resultados e se desesperam quando percebem que suas empresas já não lhes dão mais a mesma segurança de antes. Agora, em consequência da crise, não enxergam mais facilidade de trocarem de trabalho como faziam até pouco tempo. Aliás, essa característica de "trocar" era justamente o motivo das críticas que eles sofreram durante anos, que segundo alguns, era uma geração que não tinha desenvolvido anticorpos suficientes para terem resistência aos confrontos e que teriam dificuldades para saberem o que fazer em momentos de recessão.

Os Baby Boomers, assim como os integrantes da Geração X, viveram num momento de mais escassez. Naqueles anos (que se estenderam desde a década de 60 até o final do século XX) as pessoas precisavam preservar o que tinham. O comportamento padrão era de economizar, aproveitar e preservar tudo... desde as ferramentas quanto os materiais. As pessoas consumiam menos à toa e mantinham poupanças. Faziam questão de serem mais simpáticas e de descobrirem soluções caseiras para os problemas que surgiam de forma coletiva. Essa geração tinha por característica vestir mesmo a camisa da empresa em que estavam, como se delas fosse, afinal era muito comum um funcionário trabalhar por toda uma vida numa mesma corporação. Até por isso criava-se características e sentimentos específicos em relação ao local onde ganhava seu sustento.

Então, em momento de crise, onde muitos millennials estão desesperados por sentirem pela primeira vez a instabilidade da economia, você (mesmo com menos de 30 anos) tem a oportunidade de ser diferente. Pode ter toda a habilidade de um jovem de hoje, porém com comportamentos interessantes e resilientes como os da Geração "X", que em vez de ficar com  pensamentos depressivos, optava por agir... ou como dos Baby Boomers, que não se rendiam diante de tremores, até porque estavam acostumados com eles. O tempo que você perde com a insegurança e com o desespero que tem te assolado, procure fazer o que ninguém de sua geração tem feito, mas que os mais velhos fariam se estivessem na ativa, que é conversar com mais pessoas, liderar uma revira-volta emocional na empresa e no mercado, agitar para que você e os outros produzam mais, sempre com o sentimento de agradecimento a Deus pela oportunidade que está lhe dando de aprender e sempre despertando a certeza de que, se alguém pode mudar o rumo das coisas, este alguém é você.

Em vez de contagiar os outros pelo medo e pela insegurança, faça o contrário: prove aos inseguros que dá certo. Para isso, inspire-se em seus pais e avós, que em tempos de Crise simplesmente decidiam trabalhar mais e de forma mais inteligente. Na dúvida, "troque idéias" com um profissional mais veterano, isso vai te fazer bem. Enfim, em tempos de crise entre os millennials, aconselho que se comporte como um Baby Boomer.